Por Camila Doretto

Como ativismo e empreendedorismo podem caminhar juntos? Essa foi a ideia mobilizadora que reuniu profissionais de diferentes iniciativas do setor privado em um dos paineis do Sustainable Brands SP 2018 nessa terça-feira, 4 de dezembro, no Parque do Ibirapuera.

Na mesa que levou o nome “Good Mobilization”, o tema foi “Marcas, Mobilização e Ciência de Dados”. O nome da mesa resume o sentido da conversa que girou em torno da “mobilização pelo bem”. No mundo das marcas, transformar uma ideia em ação coletiva e de transformação é um desafio.

Renato Guimarães, da Together, startup queusa a tecnologia digital para construir um planejamento estratégico que gere mobilização e transformação social, destacou a importância de que no DNA da marca busque ser força transformadora na sociedade. “Não basta alcançar pessoas, precisamos criar mecanismos para que elas participem”, afirmou.

A importância da marca se manter conectada à realidade foi outro ponto de destaque da conversa. Qual o papel de uma marca no cenário social onde ela está inserida?

Quem trouxe à tona esse olhar foi Rodrigo Santini, da Ben&Jerry’s. “A diferença entre ativismo e marketing de causa é que marketing de causa olha para os interesses do consumidor, já o ativismo, parte do pressuposto do que é importante pra sociedade. Os consumidores virão como consequência”, disse Santini.

A sorveteria Ben&Jerry’s é uma empresa que não fica de braços cruzados. Nas últimas quatro décadas, a sorveteria americana tomou partido em diversas causas ao redor do mundo.

E como vivemos em uma sociedade em que o avanço exponencial da tecnologia é uma força, ética também fez parte desse momento de reflexão. “Com a quantidade e variedade de dados que conseguimos ter acesso, numa velocidade muito rápida eu consigo te oferecer algo te interesse, por outro lado, isso me dá chances de te manipular. Por isso a questão ética é muito importante de ser aprofundada”, destacou José Borbolla Neto, da Digital House Brazil, uma startup de educação que oferece cursos para a formação de profissionais digitais.

As causas são capazes de unir pessoas e diante da estatística apresentada por Marcelo Machado, da Causar, que indica que 69% dos brasileiros compram com base no posicionamento das marcas em relação às questões sociais, envolver-se com o que é importante pra sociedade é fundamental.