A entrega do Prêmio ECOERA #4  foi realizada nesta sexta-feira, dia 9, na sede da Fundação SOS Mata Atlântica.

Um dia de celebração à sustentabilidade, criatividade, diversidade e de compartilhar experiencias entre os finalistas, vencedores, conselho do Prêmio ECOERA e convidados especiais.

A abertura contou com dois Talks inspiradores (veja como foram os papos):

“O Poder transformador do Design”, com Gustavo Silvestre contando sobre os tres anos de atuação do projeto Ponto Firme.

E “A Moda como Upcycling da Sustentabilidade”, com a participação de Maria Nilda do projeto Deslocamento Criativo e Nour Koede, estilista sirio.

 

Siga o roteiro da premiação! Veja como foi

AS HOMENAGENS

A cerimonia começou com a Homenagem ECOERA para o Coletivo de Dois e Pantys

O Coletivo de Dois recebeu esta homenagem do ECOERA pelo seu trabalho pelo comercio justo, pelas suas ações pela diversidade, e pelo trabalho incrível no aproveitamento total de materiais e pelo uso dos que são rejeitados pela indústria.

E a Pantys também tem aproveitamento total de sua matéria prima e pega num ponto fundamental: que é  ajudar a eliminar um resíduo altamente impactante e que tem pouca gente olhando…AINDA: os absorventes descartáveis.

O controle para que não aja desperdícios na fabricação do produto final também é super importante. E claro, tem a diversidade no coração!

Quem entregou  os premio foi o estilista Dudu Bertholini que emocionou a todos com suas palavras sobre genero e respeito. ¨A moda pode realmente transformar realidades. A gente entende que lutar pela nossa liberdade é uma causa coletiva. Se a gente tem empatia de aceitar e de acolher, pode ter certeza que a gente esta fazendo a nossa parte.¨

Homenagem GASTRONOMIA

Também homenageamos na área da alimentação. A indicação para  a homenageada desta edição partiu do Fru.to, de Alex Atala e Felipe Ribeboim, parceiros do Prêmio ECOERA.

A chef Manu Buffara tem muitos motivos, e merece todos,  para ser reconhecida: valoriza os produtores locais e establece com eles uma relação de respeito e afeto, resgata as origens se saberes culinarios de sua região e atua intensamente pelo trabalho dos pequenos produtores do Paraná. Desde 2016 participa como protagonista de um projeto de hortas urbanas em parceria com a prefeitura de Curitiba. São 85 hortas que garantem o sustento de 100 familias e ainda abastassem o seu restaurante e outas casas da cidade. O projeto e todo o talento e dedicação da chefe garantiram a ela recentemente o titulo de chef mais promissora da américa latina, pela principal premiação da área.

Quem entregou a homenagem á Manu foi o Felipe Ribenboim, conselheiro do Prêmio ECOERA.

 

A PREMIAÇÃO

-Categoria PLANETA BELEZA Pequenas Empresas

Face It Natural, vencedora na categoria, tem todos seus fornecedores rastreados e certificados. Não faz testes em animais e tem ingredientes orgânicos e naturais. É a beleza evitando o desperdício.

Quem entregou o premio foi a jornalista Paulina Chamorro

 

Categoria PLANETA MODA Pequenas Empresas

A Bléque, vencedora na categoria integra o conceito de reaproveitamento de couros de peixes com valorização da cultura regional. Assim faz como a pele pirarucu, que além de criar calçados lindos, aumenta a renda de comunidades da Amazonia.

E usa outros materiais inovadores e eco: palha com celulose, seda pet, fibra de abacaxi, fibra de banana. Tem projeto de doações de sapatos e coleção feita apenas com sobra e retalhos!

E quem entregou o Premio ECOERA foi a diretora da Fundação SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota.

-Categoria PLANETA MODA Grandes Empresas

A Damyller foi a vencedora nesta categoria porque vem constantemente se aperfeiçoando nas suas práticas. Fibra de algodão reciclado, na sua linha eco Damyller com o zero descarte de água no processo produtivo, tingimentos sustentáveis e uma linha de produtos sem gênero

Quem entregou nesta categoria foi Renato Jardim, da ABIT

 

-Categoria  PESSOAS DESIGN Pequenas Empresas

O e-commerce BEMGLO, vencedor nesta categoria, tem práticas de impacto positivo muito fortes e que refletem 100% os seus conceitos e valores.  Comercializa produtos feitos a mão por artesãos brasileiros. Tem produtos que valorizam alternativas, feitos a partir do bagaço de cana, açaí, borracha vegetal. Reaproveitamento de resíduos, politica de fairtrade são outros pontos importantes que fizeram do BEM GLO o vencedor nesta categoria

Patrícia Cota Gomes, do projeto Origens do Brasil, do Imaflora entregou o premio à Betty Prado.

 

-Categoria PESSOAS MODA Pequenas Empresas

O vencedor nesta categoria PESSOAS – Moda Pequenas Empresas tem uma proposta muito interessante e justa na produção, contribuindo numa parte fundamental que é mexer com a economia local. Movimentar.

A Rosa P também tem um componente importante. Respeita os tempos. Os tempos de produção, de entrega, dos trabalhadores e focando sempre em evitar desperdícios, trabalha com foco na cadeia de produção.

O estilista Gustavo Silvestre fez a entrega do Premio ECOERA.

 

-Categoria PESSOAS MODA Grandes Empresas

A jornalista Andrea Vialli fez a entrega do Premio à Farm por  uma série de ações de impacto positivo para levar este premio. Venda de peça usadas em aplicativos, reaproveitamento de tecidos e retalhos nas linhas FARM E RE ROUPA,

Também criaram um spray que prolonga o uso da roupa inibindo o cheiro de suor. E a ultima, a mais linda: coleção inspirada no norte do Brasil e em mulheres indígenas, com a participação delas no projeto. 

 

– Categoria ECOERA DESIGN Pequenas Empresas

Muito mais que um canudinho de vidro. A valorização de um estilo de vida.

Na categoria ECOERA DESIGN PEQUENAS EMPRESAS o vencedor foi a Mentah.  Alguns dos pontos de impacto positivo: embalagem feita de upcycling de tecidos, reciclagem de resíduos de vidro na produção dos canudos, trabalho de educação ambiental em praias com o Projeto Verde Mar, viva mar, rede praia limpa.

Fazem também a compensação de carbono com o plantio de arvores, parte da renda também vai para projetos socioambientais, fora o trabalho no empoderamento de mulheres com o projeto Karibu e a contratação de mulheres em situação vulnerável.

Quem entregou o Premio foi  Lele Veloso, da Index Assessoria.

 

-Categoria ECOERA MODA Pequenas Empresas

As praticas de impacto positivo da marca vencedora TIMIRIM na categoria ECOERA MODA- PEQUENAS EMPRESAS vão desde tecidos 100% algodão sem tingimento e com botões ecológicos até o não uso de etiquetas com uma comunicação que valoriza a diversidade de gênero.

Uma produção baseada na economia circular e no slow fashion, feita para roupas de criança!

Quem entregou o Premio foi a executiva, comunicadora e ex-consulesa da França, Alexandra Loras. 

 

 -Categoria ECOERA MODA Grandes Empresas

C&A

Uma empresa com 170 anos de história e que consegue se renovar com sustentabilidade. A C&A tem práticas de impacto positivo e consegue impactar um numero enorme de pessoas. Tem uma Plataforma global de Sustentabilidade, com Metas e compromissos até 2020, 50% dos produtos são de algodão sustentável, são membros do Pacto Global da Organização das Nações Unidas e dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (ONU) e cuidam dos residuos através do movimento ReCiclo e do Programa Lixo Eletronico, com descarte de celulares, pilhas e baterias.

 

 

*fotos de Cleiby Trevisan

 

SOBRE O PRÊMIO E AS NOVIDADES-

O único a analisar o mercado com base em indicadores de sustentabilidade e desde a edição anterior com o olhar também voltado para questões de gênero, o Prêmio ECOERA é fruto do amadurecimento do Movimento ECOERA, criado por Chiara em 2008, com o desafio de unir os setores da indústria sob a ótica da sustentabilidade ambiental, social, econômica e cultural.

Nessa quarta edição, 129 marcas se cadastraram e discutiram questões sociais e ambientais em toda sua cadeia produtiva. “Esse número mostra o amadurecimento do mercado de moda, beleza, design com indicadores de sustentabilidade, complementa Chiara.

Para essa edição, as empresas preencheram um questionário de avaliação que mede as boas práticas das empresas divididas em três fases: pré-consumo, consumo e pós-consumo. A fase do pré-consumo refere-se a fase que começa no plantio ou fabricação das matérias primas passando pela criação, desenvolvimento até a chegada das peças nos pontos de venda; a fase do consumo tem como foco o ponto de venda e as relações com os clientes;  e a fase dopós-consumo, quemede as práticas positivas no término da vida útil dos produtos e na sua destinação quando descartado.

As finalistas foram avaliadas por um time de conselheiros composto por onze nomes:

Felipe Ribenboim , da FRU.TO,  Frinéia Rezende, do Legado das Águas, Letícia Veloso, da Index Assessoria, Márcia Hirota, da SOS Mata Atlântica, Patrícia Cota Gomes – Imaflora e Selo Origens, Paulina Chamorro, Portal ECOERA, Rachel Añon, Ponte a Ponte Empreendedorismo Socioambiental, Rachel Maia, Projeto Capacita-me, Renata Meirelles Solé,daAssociação Brasileira de Estilistas, Luiza Lorenzetti, da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção e WansSpiess, do Projeto CalçadaSP.