por Renata Namo
Uma das maiores alegrias do segundo encontro das Guardiãs da Água na Moda foi, sem dúvida, conhecer Marussia Whately. Mulher simpática, com um jeito simples e ao mesmo tempo gigante de ser e pensar. Paulistana, arquiteta e urbanista, Marussia é especialista em gestão de recursos hídricos.

Idealizadora da Aliança Pela Água – rede que reúne mais de 80 instituições – e autora do livro “O século da escassez”, pela Cia. das Letras, Marussia é também membro do Conselho Institucional da Coca Cola.

A convite de Chiara Gadaleta, Marussia sentou-se à mesa com as Empresas Guardiãs e abordou, de maneira informal, alguns dos principiais aspectos que envolvem o universo da água.

O AMPA elencou para você algumas das explanações da especialista que mais envolveram os profissionais das Empresas Guardiãs da Água Pela Moda, presentes ao encontro.

“Devido ao aquecimento global, estamos deixando de contar com um “clima amigo”,ou seja, previsível; para retroceder na direção de um clima intempestivo, catastrófico.”

A crise da escassez é mundial. Na África chega a ter suicídios coletivos por falta de água.”

 “A formulação H2O no estado líquido só é encontrada na Terra. No início, os cometas (formados por pedras de gelo) bombardeavam a Terra jovem que era uma bola de fogo. O planeta passou a resfriar e a fazer chover. E nunca mais parou de chover, há mais de 500 milhões de ano!’ 

“Por essas e outras, que clima e água são indissociáveis”.

 “Estamos vivendo o sexto ciclo da extinção de vida. Comparando com o ciclo de extinção dos dinossauros, por exemplo, que levou séculos para ser concluída, estamos a apenas 200 anos da revolução industrial e, portanto, acelerando os processos de extinção.”

 “Água tem a tendência de virar tema central no século XXI. É um desafio inédito.”

 “Uma das técnicas e pesquisas de origem acadêmicas que a gente vem desenvolvendo e propagando é sobre a governança da água. Quem é dono da água? Governo federal, estadual, municipal, qual é o papel de cada um?”

 Se continuarmos como estamos, sem uma gestão responsável, daqui há uns 15 anos, 50% do planeta ficará sem acesso a água!”

 “Água cai do céu e não vai parar de cair. O que estamos matando são as condições da água chegar até nós: rios, mananciais, florestas.”

“O Brasil tem muita água, mas é mal distribuída. 70/80% da água estão na Amazônia e 75% da população estão no Nordeste e no Sudeste. E água não se teletransporta!”

 “Precisamos apostar em soluções sustentáveis. Não adianta fazer mais represas, ir mais longe, uma hora isso vai se esgotar. É preciso diversificar as soluções. Mais represas sim, mas também reúso, captação chuva, dessalinizações.”

 “O setor empresarial tem encabeçado as inovações por uma questão de sobrevivência.”

“É necessário fazer como vocês estão fazendo aqui no A Moda Pela Água: trocar informações sobre práticas que já avançaram e dividir esse conhecimento com a sociedade.”

 “São Paulo, por exemplo é a primeira cidade a implantar uma política municipal de segurança hídrica.”

“Estamos desenvolvendo um mapa de insegurança hídrica. Serão indicadores pautados em 6 pilares: Saneamento – Lixo – Saúde – Defesa civil – Reúso e captação chuva – Transparência e controle social. A ideia é construir um repertório de soluções para difundir a nível federal.”

 “E temos cases pontuais, como a purificação por ozônio, que também podem ser muito transformadoras.”