A valorização da  pluralidade de cada ser humano vem sendo cada vez mais  mostrada na grande mídia. Mais uma vez a turma de Mauricio de Sousa cria um personagem onde a inclusão é evidenciada. Outros três personagens também nasceram com o objetivo de trazer mais representatividade para a Turma da Mônica: o cadeirante Luca, a cega Dorinha e a menina Tati, que tem Síndrome de Down.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), é considerada uma doença rara aquela que atinge até 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos. Estima-se que no Brasil há 13 milhões de pacientes com algum tipo de doença rara, sendo que 75% dos casos se manifestam ainda na infância.

                         (foto divulgação – Sabrina Eder)

 

Em Março, Edu, um menino com distrofia muscular de Duchenne (DMD), chega  na turminha. Uma parceria da Mauricio de Sousa Produções com a empresa de medicamentos genéticos Sarepta. O novo integrante faz parte do projeto editorial “Cada passo importa”.

” Edu é um menino de 9 anos que convive com uma doença genética rara e gosta de desenho, arte e tem um cachorro chamado Sapeca. Os gibis da campanha mostrarão o personagem na escola, onde os coleguinhas o acolherão e entenderão suas dificuldades e necessidades”, revela Fabio Ivankovitch  diretor-geral da Sarepta.

O objetivo  é conscientizar a população de forma lúdica, para sensibilizar crianças, professores e famílias, sobre a importância do diagnóstico precoce e promover a inclusão de pessoas com DMD.

Murilo e Isabel Pescatori, ao lado de Mauricio de Sousa. O jovem de 20 anos é portador de DMD e inspirou o personagem Edu.

Fonte: Huffpostbrasil