Você sabe realizar a coleta seletiva de seu lixo? 

Sabe para que serve cada uma das cores presentes nas latas de lixo?

Selecionamos nesse post, o descarte certo de acordo com a cor certa para que cada resíduo e/ou rejeito esteja tendo o destino ideal de acordo com sua composição.

Vamos lembrar aqui a diferença entre resíduo e rejeito:

Resíduo: é todo material que pode ser reutilizado e/ou reciclado de alguma forma.

São materiais que possuem alternativas de reaproveitamento, podendo ser inseridos na indústria de alguma maneira, gerando algum tipo valor econômico.

Rejeito: é todo material que já teve sua vida útil esgotada. Não pode mais ser reaproveitado e/ou reciclado. Normalmente são materiais que não apresentam condições para serem inseridos na indústria novamente, que perderam seus valores econômicos, se encontram contaminados por qualquer substância e outros motivos.

Vale lembrar que, nesse caso, a legislação prevê que esses rejeitos devem ser encaminhados à aterros sanitários licenciados e/ou incinerados.

Vamos a destinação de acordo com as cores (que você comumente pode encontrar em postos de coleta seletiva):

 

AZUL: Papel / Papelão (jornais, revistas, impressos e outros)

VERMELHO: Plásticos

VERDE: Vidro (em geral)

AMARELO: Metal (latinhas por exemplo)

LARANJA: Resíduos perigosos (pilhas e baterias por exemplo)

BRANCO: Lixo hospitalar e das áreas da saúde em geral

ROXO: Lixo radioativo (produzidos pela indústria – como urânio por exemplo)

MARROM: Lixo orgânico (alimentos e tudo que seja de origem biológica – animal e/ou vegetal – que em contato com o solo, possa se decompor)

CINZA: Lixo não reciclável (que esteja contaminado e ou não seja possível fazer seleção como: papel higiênico, fraldas, absorventes, papel toalha que tenha gordura entre outros)

 

Vale lembrar que, apenas no ano de 2018, o Brasil gerou cerca de 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos.

Destes 79 milhões, cerca de 11 milhões são lixos plásticos! O que torna o Brasil o quarto maior “produtor” de lixo plástico do mundo.

Estima-se que nem 2% desse tipo de resíduo seja reciclado.

Estamos vivendo uma produção em massa de pilhas e mais pilhas de lixo em todo o mundo e não temos recursos suficientes para conter um avanço tão acelerado.

É de extrema importância que cada um faça sua parte, utilizando e adquirindo a menor quantidade possível de produtos facilmente descartados – como os plásticos de único uso – e que cada descarte, seja feito da forma correta. Assegurando que seu destino seja realizado para minimizar os graves impactos ambientais.

Vamos todos juntos?

Foto: Pexels

Fonte: Agência Brasil | Ministério do Meio Ambiente