Excelente e revolucionária notícia!

De acordo com o anuncio da Onu Meio Ambiente, seus signatários incluem empresas que juntas representam 20% de todas as embalagens plásticas produzidas globalmente. Entre elas, empresas de bens de consumo como Danone, H&M, L’Óréal, Mars, Incorporated, Natura, PepsiCo, Coca-Cola e Unilever, além de importantes fabricantes de embalagens como Amcor, fabricantes de plásticos incluindo a Novamont, e a especialista em gestão de recursos Veolia.

E tem empresa brasileira também!

A nota completa:

Governos, ONGs e outras 250 organizações, incluindo alguns dos maiores fabricantes, marcas, varejistas e recicladores de embalagens do mundo, assinaram um compromisso global para erradicar o desperdício e a poluição por plásticos em sua origem.

O Compromisso Global por uma Nova Economia do Plástico (fruto da iniciativa New Plastics Economy) é liderado pela Ellen MacArthur Foundation, em colaboração com a ONU Meio Ambiente, e foi oficialmente lançado na conferência Our Ocean na segunda-feira (29), em Bali.

Seus signatários incluem empresas que juntas representam 20% de todas as embalagens plásticas produzidas globalmente. Entre elas, empresas de bens de consumo como Danone, H&M, L’Óréal, Mars, Incorporated, Natura, PepsiCo, Coca-Cola e Unilever, além de importantes fabricantes de embalagens como Amcor, fabricantes de plásticos incluindo a Novamont, e a especialista em gestão de recursos Veolia.

A iniciativa é apoiada pelo World Wide Fund for Nature (WWF) e foi endossada por Fórum Econômico Mundial, The Consumer Goods Forum — uma organização liderada por presidentes de cerca de 400 varejistas e fabricantes de 70 países — e 40 universidades, instituições e acadêmicos.

Mais de 15 instituições financeiras com mais de 2,5 trilhões de dólares em ativos sob gestão também endossaram o Compromisso Global, e mais de 200 milhões de dólares foram assegurados por cinco fundos de investimento para criar uma economia circular para o plástico.

O Compromisso Global tem como objetivo criar uma nova realidade para as embalagens plásticas. As metas serão revisadas a cada 18 meses, e se tornarão ainda mais ambiciosas nos próximos anos. As empresas que assinarem o compromisso publicarão anualmente dados indicativos do seu progresso a fim de gerar impulso e garantir transparência.

As metas incluem eliminar embalagens plásticas problemáticas ou desnecessárias e migrar de modelos de uso único para modelos de reuso; inovar para garantir que 100% das embalagens plásticas possam ser reutilizadas, recicladas ou compostadas com facilidade e segurança até 2025; circular o plástico produzido, aumentando consideravelmente a quantidade de plásticos reutilizados ou reciclados e transformados em novas embalagens ou produtos; eliminar os plásticos desnecessários ou problemáticos é uma parte essencial da visão do Compromisso Global, e facilitará a manutenção dos plásticos remanescentes na economia e fora do meio ambiente.

Para Pavan Sukhdev, presidente da WWF International, a crise do plástico só poderá ser solucionada com o esforço conjunto de todos os atores-chave do sistema. “A estratégia da WWF para os plásticos é promover, ampliar e acelerar um conjunto interligado de iniciativas pela mudança. Por isso, estamos trabalhando com outras organizações-chave, como a Ellen MacArthur Foundation, para transmitir uma mensagem conjunta sobre os nossos ambiciosos compromissos compartilhados, e para desenvolver as ferramentas necessárias para cumpri-los em parceria com empresas, a sociedade civil, governos e cidadãos”.

A ONU Meio Ambiente, que lidera a Global Partnership on Marine Litter e sua Campanha Mares Limpos, também lançou no mês passado a Global Plastics Platform para apoiar esforços internacionais tratando da poluição por plásticos.

A organização declarou que usaria seu poder de mobilização para promover o engajamento de governos e outros atores-chave com a iniciativa. Os governos que assinam o Compromisso Global se comprometem a estabelecer políticas públicas e condições viabilizadoras para apoiar as suas metas e visão.

“O plástico nos oceanos é um dos exemplos mais visíveis e perturbadores da crise da poluição por plásticos. O Compromisso Global da Nova Economia do Plástico é um dos conjuntos de metas mais ambiciosos que já vimos até hoje na luta para combater a poluição por plásticos. Ele define os passos a serem dados por empresas e governos a fim de encontrar uma solução para a origem da poluição por plásticos e nós urgimos a todos os que trabalham para endereçar esse problema global que o assinem”, disse Erik Solheim, diretor-executivo da ONU Meio Ambiente.

 

 

Fotos Louis Hansel @unsplash