A COP 25 – A Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas, começou no último dia 02 de Dezembro e terminou ontem, dia 15. Dois dias após o previsto devido à difíceis negociações para conter os avanços climáticos.

Lançada em 2007, a reunião é convocada anualmente pelo Pacto Global da ONU, pelo secretariado da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês) e pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Durante os 18 dias de conferência em Madri, cerca de 200 países se reuniram para apresentar e discutir quais serão suas estratégias para reduzir as emissões de gás carbônico (CO2) na atmosfera e minimizar seus impactos.

O evento, que teve como slogan “Time for Action” ou “Hora da Ação”, remete a ideia do quão emergencial são os acordos entre diferentes Estados para frear as transformações causadas pelo Efeito Estufa.

Segundo o secretário geral da ONU, António Guterres, líderes empresariais e da sociedade civil precisam pressionar governantes e articular políticas que apoiem os empenhos do setor privado em lidar com as mudanças climáticas. 

“Embora observemos algumas etapas incrementadas em direção a modelos de negócios sustentáveis, elas não chegam nem perto do escopo ou da escala necessária.

Não precisamos de uma abordagem que incremente, mas que transforme. Precisamos que as empresas se unam apoiadas na ciência, adotando ações rápidas e ambiciosas em suas operações e cadeias de valor.” destacou António Guterres.

ANTÓNIO GUTERRES_ONU_PORTALECOERA

Todos temos um papel significativo em cuidar do planeta!

Eventos como queimadas, enchentes e outros desastres, são cada vez mais frequentes no mundo todo. Uma consequência do aquecimento global causado pelo ser humano em decorrência à diversos fatores que potencializam a emissão de CO2 e o do aumento da temperatura da terra.

Só pra se ter uma ideia, o planeta já está cerca de 1,1 Cº mais quente e a concentração de gás carbônico (CO2) na atmosfera alcançou nível recorde em 2018.

Se continuarmos nessa mesma frequência, e não conseguirmos reduzir as emissões em mais de 7% ao ano, chegaremos a um aumento de temperatura de aproximadamente, 3,2Cº – uma verdadeira catástrofe mundial.

Um dos grandes objetivos e desafios da conferência é limitar o aumento da temperatura global a 1,5Cº acima dos níveis pré industriais. Número que foi alinhado com o Acordo de Paris de 2015 sobre mudanças climáticas.

Os dias de evento foram bastante conturbados, entre diversos desencontros e especulações sobre o posicionamento de diferentes países (incluindo o Brasil). Mesmo tendo como slogan, a chamada “Hora de Agir”, a COP25 encerrou sua participação com a promessa de que países entreguem suas propostas para evitar as mudanças do clima somente em 2020. Uma triste realidade para um problema que não pode esperar.

Segundo a agência Reuters, grandes poluidores do mundo como: Estados Unidos, China, Índia, Arábia Saudita, Japão, Brasil e Austrália, não demonstraram interesse em ampliar seus esforços e acabaram travando as negociações. 

A COP25, que deveria ter apresentado ações mais efetivas quanto o controle de emissão de carbono e quais estratégias seriam adotadas para isso, terminou em clima de frustração e anseio sobre o posicionamento de grandes líderes mundiais que tem o dever de cuidar do nosso planeta.

Como reforçou Guterres: 

“Se não atingirmos a neutralidade do carbono até 2050, todos os nossos esforços atuais para promover o desenvolvimento sustentável serão prejudicados”.

Outra esperada participação durante a COP25, era a de Greta Thunberg. 

A jovem ativista de 16 anos, que acaba de estampar a capa da Revista Time como personalidade do ano, luta pelas causas climáticas e tem discursos bastante engajados desafiando governantes do mundo todo.

Em seu discurso Greta reforça o diálogo de que as mudanças começam pelas pessoas!

 

GRETA THUNBERG_TIMES_PORTALECOERA

Que se tivermos consciência sobre os graves acontecimentos globais, poderemos então, cobrar iniciativas e ações eficazes de lideranças governamentais.

Falou também sobre dados trazidos por Institutos de alta tecnologia científica que apontam níveis alarmantes e o curto prazo que nos resta para agirmos. Enfatizando que jamais devemos ignorar a ciência e acreditar em falsos discursos políticos.

“Parece que #cop25 em Madri está desmoronando agora. A ciência é clara, mas a ciência está sendo ignorada. Aconteça o que acontecer, nunca desistiremos. Nós apenas começamos”, escreveu Greta no Twitter.

Acompanhe o discurso de Greta Thunberg na íntegra:

Fonte: ONU | COP25 | The Guardian | G1 | Observatório do Clima 

Foto: Pexels | ONU | Greta Thunber | Time