Por Paulina Chamorro

Para o dia da Água deste ano as Nações Unidas lançaram uma campanha que me encantou por ser simples, direta e sem margem de erro: a resposta está na natureza.

O mês de maio tem o dia da biodiversidade, dia 22,  e o dia da mata atlântica, dia 27 e por isso no Portal ECOERA escolhemos nos conectar com a natureza através de pautas e matérias relacionando nossos pilares (moda, beleza design e alimentação) com a melhor matéria prima que poderíamos ter: os recursos naturais. Porque estamos todos no mesmo barco e a urgência ambiental afeta a todos, certo?

Valorizar e proteger os ambientes, a água, o solo, a energia limpa é valorizar a biodiversidade. E biodiversidade somos nós e o que consumimos também.

(Leia no final do texto a definição do ex-secretário de Diversidade Biológica, Bráulio Dias)

Quando escrevo valorizar a biodiversidade é realmente no sentido de dar o devido valor aos elementos.

Quanto custa a agua que é usada para produzir praticamente tudo? Qual é o impacto positivo social quando se usam elementos dos biomas brasileiros na moda, beleza e design? Como nos reconhecemos na natureza do Brasil?

A diversidade alimentar brasileira é biodiversidade? A cura de doenças é biodiversidade?

O país está entre os tres mais megadiversos do mundo. Isso quer dizer que temos flora e fauna como poucos lugares odo mundo. Quais são os exemplos de pessoas, instituições e empresas que estão criando e produzindo com esta premissa? O que a diversidade alimentar brasileira?

Convidamos a todos a participar e responderem estas questões com a gente! Mandem suas sugestões para nós!

O portal ECOERA é colaborativo e neste mes queremos rechear de múltiplas visões, as mais diversas, sobre a biodiversidade nas nossas vidas.

conteúdo@portalecoera.com.br

 


 

No final de 2016, em Cancún, foi realizada mais uma reunião da Convenção da Diversidade Biológica das Nações Unidas. E eu pude conversar com o então Secretario da CDB, Braulio Dias.

Aproveito o mês temático para compartilhar mais visões sobre a importância de reconhecê-la:

Biodiversidade é a base para promover segurança alimentar – todo alimento que a gente consome é biodiversidade.

“Assegurar a biodiversidade dos recursos genéticos, dos recursos biológicos, dos chamados serviços ecossistêmicos como polinização, reciclagem de nutrientes do solo, controle biológico de pragas… Isso é que garante a produção de alimentos. E a proteção das florestas, dos rios, dos mares, é fundamental para a oferta de alimento também. Porque o alimento não vem só da agricultura, vem também dos rios e oceanos através da pesca, vem das florestas através do extrativismo, da coleta de raízes, sementes, frutas e outros. E isso é particularmente importante para população pobre. Porque o rico pode ir pro mercado comprar seu alimento. O pobre, não tendo uma renda adequada, depende de poder ir pescar, de poder ir a um remanescente de floresta , cerrado ou caatinga e retirar seu alimento. Além do mais, tudo mundo precisa de medicina para manter a sua saúde. De onde vem essa medicina? Vem da biodiversidade! Toda ela. Mesmo no caso da indústria farmacêutica moderna, que sintetiza muitos dos ativos de medicamentos, mas estes princípios ativos foram orginalmente extraídos de organismos vivos. Então novas curas de doenças virão da biodiversidade. Não tem outra fonte. Essa é a única.

E na água também. Todo mundo depende de água limpa. E o ciclo hidrológico depende da manutenção dos ecossistemas. Se a gente destrói florestas ou as áreas úmidas, esse ciclo se interrompe. São as florestas que capturam a água da chuva e promover a infiltração no solo. Sem essa vegetação temos a perda dessa água pelas enxurradas que chegam até os rios e se perde no mar. Então, esta água em vez de ser infiltrada, se perde no mar. E esse processo de passar pela floresta e pelo solo é que filtra e nos proporciona água limpa. Nós dependemos de ar limpo e oxigênio. E quem produz? As plantas e as algas.

Para o bem estar básico de toda a população, biodiversidade é fundamental. Só que as pessoas sempre contaram com este apoio da biodiversidade e ainda acreditam que podem contar com este apoio para sempre. Não se dão conta que se está promovendo a destruição da biodiversidade por conta de sistemas produtivos não sustentáveis, como sobrepesca, como extração excessiva de produtos florestais e poluição. Isso está relacionado com o consumo de cada um. Cada leitor tem que entender que as decisões de consumo estão provocando estes problemas. Não é de fora. É de cada um de nós. Se você compra excessivamente você está demandando extrair mais da natureza. Então o consumo não responsável é um dos grande vilões deste problemas. O uso excessivo de plástico esta nessa conta também.”