A empresa espanhola Jeanologia é marca referência em tecnologias avançadas de laser e eco para acabamento de tecidos e roupas. Tecnologias sustentáveis ​​e eficientes que garantem grande economia de água, energia e produtos químicos; tecnologias livres de poluição e disruptivas que eliminam processos manuais e prejudiciais para a saúde do trabalhador.

Em sua última visita ao Brasil concedeu uma entrevista ao Portal ECOERA.

Confira abaixo.

Na última edição do Vipreview a Diretora Criativa da empresa Espanhola Jeanologia, Carme Santacruz, esteve na VipreviewSS10 e após palestrar sobre Eco-design e produção sustentável na indústria do denin, respondeu algumas perguntas para o Portal ECOERA.

P. Carme, em que parte do ciclo de vida do jeans a Jeanologia está presente?

R. A Jeanologia está na parte de lavanderia, mas não de forma produtiva e sim tecnológica, sendo a base do processo de lavanderia de Jeans.

P. A Jeanologia é parceira da Vicunha? Há quanto tempo e como ocorre essa parceria?

R. Sabe, Há muito tempo existe um grande elo entre a Jeanologia e a Vicunha, já fazem 10 anos que eu trabalho na Jeanologia e antes disso eles já eram próximos. São empresas parceiras, mas uma não presta serviço a outra, acredito que a proximidade surja porque são grandes grupos que possuem ideais similares para a construção do pensamento empresarial do futuro.

P. Você conhece o projeto pegada hídrica Vicunha em parceria com o ECOERA? Qual sua opinião sobre o projeto?

R. Sim, eu conheço, estive presente  no talk do VipreviewSS20, acho a ideia muito interessante e importante, como a Vicunha é líder principalmente em volume no mercado têxtil atual, não só em vendas e prestígio, mas principalmente em volume, o pouco que eles façam vai representar muito para o meio ambiente, penso que o projeto Pegada hídrica da Vicunha com o ECOERA é muito, muito, importante nesse sentido.

P. As tecnologias da Jeanologia estão presentes em 60 países nos 5 continentes. Com sede em Valência (Espanhã), Jeanologia tem um centro de produção de laser em Barcelona e ozônio na Turquia, na cidade de Izmir. Além disso, Jeanologia possui centros de demonstração na Turquia e no Brasil. Como funciona o centro demonstrativo da Jeanologia no Brasil e onde fica?

R. Localizado em Campinas (SP), o centro demonstrativo da Jeanologia fornece suporte técnico para instalação e reparação da tecnologia dos maquinários, mas também o suporte brainbox, porque mais do que vender máquinas ou tecnologia a Jeanologia, é formada por pessoas que oferecem uma consultoria sobre as tecnologias vendidas, a sede de demonstração oferece treinamentos e ensina novos processos aos consumidores. Enquanto isso em Valência, sede da empresa, existe a dedicação a investigação e desenvolvimento constante para melhorar os processos mediante o uso da tecnologia e graças a centros como o do Brasil onde temos pessoas dedicadas para a realização da consultoria nossa comunicação é constante e atualizada com nossos clientes. A consultoria  é o suporte principal e mais diferenciado que a Jeanalogia oferece.

P. Você pode falar um pouco mais sobre o slogan da Jeanologia? “Não queremos ser a melhor empresa do mundo, queremos ser os melhores para o mundo”

R. A Jeanalogia é uma empresa familiar que pouco a pouco foi crescendo. O interesse do dono da empresa sempre foi realizar essa transformação do ponto de vista tecnológico, ele soube direcionar o seu negócio de uma maneira que fosse um bom negócio para o resto das pessoas, pelo tema sustentável. Quando falávamos de sustentabilidade e tecnologia as pessoas nos olhavam de maneira estranha (risos) hoje é muito gratificante saber que o tema tem outra avaliação e recebe a importância que necessita. Estamos sempre falando em tornar processos sustentáveis. Como vocês fizeram o projeto da pegada hídrica, que consiste na união de todo o processo, no nosso caso, não só o processo de lavanderia, mas todos os agentes da cadeia têxtil.

P. Até 2025 todo o jeans do mundo pode ser 100% sem água? Como será possível alcançar essa meta?

R. O tempo e o avanço da tecnologia são tão rápidos que não sabemos dentro do período de 5 anos do que seremos capazes. É muito importante sobretudo combinar esse avanço tecnológico com investigação e aplicação da tecnologia, é importante saber como utilizá-la para ser mais eficiente, é que tudo avança de uma maneira quase imprevisível.

P. Como você identifica a adoção de processos de impacto positivo na indústria têxtil, de maneira global e no Brasil ?

R. No Brasil, existe muita visão de processo, futuro e negócio, os brasileiros tem uma atitude muito positiva com a mudança, acreditam nela. No resto do mundo é evidente desde gvbrandes marcas como Levi’s que estão investindo altamente em sustentabilidade até pequenas marcas, estamos todos na mesma direção. É sobre o que se fala, e é muito positivo porque não é uma moda é uma realidade e isso é incrível.