A Câmara Municipal da cidade americana aprovou na última, terça feira dia 08, portaria proíbe o uso e a distribuição de isopor dentro dos limites do município. Produtos como caixas de ovos, recipientes de alimentos, refrigeradores, caixas de gelo, brinquedos de piscina ou praia, bóias de ancoragem e marcadores de navegação feitos total ou parcialmente de espuma de poliestireno.

O poliestireno expandido (EPS) e o poliestireno extrusado (XPS), são produtos sintéticos provenientes do petróleo. Para sua fabricação, são reunidas pequenas quantidades do polímero poliestireno, misturadas com produtos químicos que, por sua vez, que se expandem até cinquenta vees o volume correspondente ao seu tamanho original.

foto @calebdlucas

A maioria absoluta do conselho garantiu, ao aprovar essa medida, o papel de San Diego como líder nacional em busca de um futuro seguro e sustentável e fez de San Diego a maior cidade da Califórnia para proibir o isopor. Os impactos negativos do isopor são permanentes e ameaçam a saúde dos moradores a cidade, a vida selvagem e as indústrias críticas da região.

Institutos ambientais, como o 5 Gyres e a Surfrider Foundation, pontuaram que a tensão ambiental do poliestireno supera os benefícios da conveniência do consumidor. O poliestireno conhecido popularmente como isopor, degrada ao longo de centenas de anos; e, mesmo assim, só se decompõem em pequenas partículas chamadas microplásticos. Isto causa um dano pesado, já que a fauna marinha e terrestre confunde poliestireno com alimentos. Este consumo de plásticos na cadeia alimentar, também retorna às dietas humanas.

O uso deste material que acaba em nossos oceanos como micro-plásticos afeta a vida marinha e é prejudicial para as futuras gerações.

Não se tem uma estimativa no Brasil para o descarte de embalagens de isopor ou lei que proíba o uso deste material. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em estudo realizado, apontou um consumo de 2,5 milhões de toneladas de isopor em todo o mundo e algo em torno d 36,6 mil toneladas no Brasil. Nos EUA, por exemplo, mais de 25 milhões de copos de café de isopor são jogados no lixo por ano.

Preservar o meio em que vivemos e as espécies que habitam nele, é essencial para um futuro próspero. A falta de sustentabilidade desrespeita a fauna e a flora, levando a extinção de espécies e desequilíbrio ambiental, aquecimento global e outras questões.