Iniciativa une personalidades contra o preconceito

Hoje, 8/8, alguns grandes nomes da mídia revelaram, publicamente, uma de suas piores facetas: o preconceito. Com posts em suas redes sociais, Fabio Porchat, Nany People entre outros iniciaram o movimento nacional “EM DESCONSTRUÇÃO

 

Iniciou-se neste sábado (8/8) o movimento nacional “EM DESCONSTRUÇÃO”, tendo como primeiro tema o Racismo. Personalidades como Fabio Porchat, Nany People, Bruno Motta, Facundo Guerra e Jefferson Schroederassumiramseus preconceitos, como uma forma de levantar uma discussão e despertar a consciência das pessoas sobre o assunto.

 

A ideia é expor preconceitos estruturais, que residem em cada um de nós, pois todos temos em maior ou menor grau, conceitos pré-concebidos na construção do nosso caráter, isso, em função do meio em que fomos criados, explica o idealizador da iniciativa, Marcos Guimarães, sócio-diretor da Designorama.

Composto por podcasts, lives, vídeos e posts para mídias sociais, o movimento EM DESCONSTRUÇÃO” terá três ondas (fases) iniciais, com as personalidades falando na primeira pessoa, num tom confessional, um desabafo num grupo de apoio. O diferencial é não apontar o dedo para ninguém, senão para nós mesmos. Nosso objetivo é transpor a atitude defensiva que as pessoas têm diante do tema. Desde as que tem 1% de preconceito até as que tem 99%, ainda por dissipar, completa Guimarães.

Para dar apoio ao projeto, instituições sem fins lucrativos que combatem os preconceitos abordados pelo movimento EM DESCONSTRUÇÃO” – como Educafro (@educafro), Casinha Acolhida (@casinhaacolhida) – estão oferecendo orientação consultiva. O site da campanha (www.EMDESCONSTRUCAO.com.br) conta, ainda com informações sobre essas instituições e a melhor maneira de apoiá-los. Além disso, há uma área em que pessoas anônimas poderão contar histórias que elas têm relacionada aos temas.

Outros nomes que estão na causa contra o Racismo são André Arteche, André Neto, André Vasco, Gabriel Barreto, Gustavo Mendes, Julyana Lee,Junior Chicó, Rafael Infante e Regina Volpato, Robson Nunes, Micheli Machado, dentre outros. Essa lista está sendo atualizada a todo instante com novos participantes.

Cabe lembrar que preconceito é um juízo pré-concebido, uma opinião desfavorável, baseada em um sentimento hostil. Mesmo sem fundamento crítico ou lógico, é motivado por hábitos de julgamento ou generalizações apressadas que levam à comportamentos discriminatórios, de segregação, de desrespeito, de violência etc.

O cuidado com os detalhes da iniciativa se reflete inclusive na data e horário de seu lançamento. O mero 8”, segundo a numerologia, está ligado ao equilíbrio e à justiça. Quando posto na horizontal, o 8” simboliza o infinito, o fluxo sem início ou fim, o ilimitado. Onde começa o preconceito e onde ele termina, se é que termina?, questiona.

O movimento EM DESCONSTRUÇÃO’ irá representar uma oportunidade de conscientização, diálogo e de aprendizado. Com certeza, durante o processo, nós também aprenderemos muito. Por isso, estamos abertos a novas ideias e queremos que todos se sintam confortáveis a colaborar, finaliza Guimarães.

 

Sobre o movimento EM DESCONSTRUÇÃO”

EM DESCONSTRUÇÃO” é um movimento criado para expor e provocar a discussão sobre preconceitos estruturais, de forma a despertar a consciência de sua existência em todos nós, sem exceção. Lançada em agosto de 2020, a campanha, de abrangência nacional, irá abordar três grandes temas. Ao mesmo tempo, diversas personalidades irão reconhecer publicamente, suas crenças, sentimentos e tendências de comportamento pré-concebidos. O diferencial da iniciativa está no fato de que os seus participantes falam na primeira pessoa, como uma espécie de confissão, sem apontar o dedo para os outros. EM DESCONSTRUÇÃO” é uma iniciativa conjunta entre empresas privadas, pessoas públicas e instituições sem fins lucrativos. O site contará com um espaço chamado Conta Comigo, no qual pessoas anônimas irão falar sobre a história delas, relacionadas aos temas. Saiba mais em: www.EMDESCONSTRUCAO.com.br

 

Sobre a Casinha Acolhida

A Casinha Acolhida é uma ONG carioca que iniciou suas operações há três anos com a proposta de oferecer apoio à população LGBTQIA+, em particular os expostos a situações extremas de vulnerabilidade e violações de direitos – oferecendo atendimento emergencial-pontual ou contínuo por profissionais voluntários, além de encaminhamento para uma ampla gama de profissionais da rede socioassistencial e outras organizações parceiras. Até o momento, a Casinha já prestou atendimento e orientação para mais de uma centena de jovens, além de programas e ações específicas nas vertentes de: empregabilidade, educação, cultura e saúde. Mais: www.facebook.com/pg/casinhaacolhida

 

Sobre a Educafro

O objetivo geral da EDUCAFRO é reunir pessoas voluntárias, solidárias e beneficiárias desta causa, que lutam pela inclusão de negros, em especial, e pobres em geral, nas universidades públicas, prioritariamente, ou em uma universidade particular com bolsa de estudos, com a finalidade de possibilitar empoderamento e mobilidade social para população pobre e afro-brasileira. Mais: www.educafro.org.br.

via Assessoria de Imprensa