A comunidade TED convidou 15 especialistas sobre oceanos – e que já estiveram em seu palco para compartilhar pesquisas e conteúdos – para citar quais plásticos eles acreditam poder ser banidos durante nossa rotina.

Hoje já é possível saber as diversas consequências desencadeadas pelo alto consumo de itens produzidos em alguma composição plástica. São inúmeras as discussões sobre como podemos (e devemos) desenvolver produções e práticas mais positivas para esse problema.

Deixamos aqui, as sugestões trazidas por cada cientista e especialista nessa relação entre plástico, natureza e impacto:

PLÁSTICOS_PORTAL ECOERA

-MICROFIBRAS: As microfibras (advindas de matéria prima sintética) e presentes em diversas roupas de nosso dia a dia – como peças de ginástica – podem ser eliminadas durante seu ciclo de vida. Através da manutenção diária entre lavagens e outros métodos. Todos esses pequenos fios, escoam por rios e mares à cada nova lavagem.

Isso vale também para outras peças produzidas em poliéster e, até mesmo, as que são em PET reciclado. Diversos estudos apontam que  – mesmo que a iniciativa seja positiva quanto ao processo de dar uma nova condição aos plásticos, a fibra continua “eliminando” esse componente durante sua existência.

Você sabia que, um terço dos peixes capturados no Reino Unido está contaminado com microplástico?

Isso relata a importância de, cada vez mais, a indústria da moda repensar seus processos e buscar alternativas mais responsáveis. Como o uso de fibras naturais certificadas (como o caso do algodão BCI produzido no Brasil) e uma manutenção mais adequada para cada peça.

Por:

Ayana Elizabeth JohnsonTED: Como usar o oceano sem usá-lo.

Sylvia EarleTED: Meu desejo: proteger nossos oceanose a equipe da Mission Blue.

Laura RobinsonTED: Os segredos que encontro no misterioso fundo do oceano.

Também deixamos essa leitura sugerida: 15 maneiras de reduzir o uso de microfibras.

PLÁSTICOS_PORTAL ECOERA

-PLÁSTICOS DE ÚNICO USO: Aqueles que já citamos por aqui diversas vezes, como: copos descartáveis, canudos, talheres, sacolas de mercado e tantos outros itens. São produtos produzidos em plástico e que serão utilizados por cerca de 20 segundos (de acordo com pesquisas) e logo mais, descartados.

Vários desses componentes são direcionados ao lixo comum e não são reciclados. Isso faz com que grande parte chegue à rios e mares, sendo ingerido por diversos animais marinhos.

Por:

Charles MooreTED: mares de plásticoe a equipe da Algalita Marine Research Foundation.

Nancy RabalaisTED: A “zona morta” do Golfo do México. 

Greg StoneTED: Salvando o oceano, uma ilha por vez. 

PLÁSTICOS_PORTAL ECOERA

-FITAS ADESIVAS, LACRES  E OUTRAS EMBALAGENS DE TRANSPORTE: É comum que produtos sejam distribuídos com diversos tipos de fitas, lacres e embalagens que possam assegurar seu transporte. Isso para que possam chegar à seu destino de forma correta e sem qualquer dano. O grande problema é que, boa parte desses itens são produzidos em plástico (devido ao baixo custo de mercado e facilidade de manuseio).

Sendo assim, não é difícil que, logo após seu uso, esses materiais sejam descartados de forma incorreta e cheguem à animais marinhos. Você possivelmente, já deve ter visto pela rede algum desses animais gravemente ferido por conta de um lacre ou qualquer outro objeto.

Por: Claire SimeoneTED: Como o conhecimento compartilhado pode beneficiar humanos e animais.

-PLÁSTICO FILM EM AEROPORTOS: Um clássico do “conforto” para quem viaja.

Você já deve ter se deparado com aquelas máquinas responsáveis por “embalar” malas de viajem. O grande problema é que, assim como outros plásticos de único uso, esse também vai parar no lixo comum pouco tempo depois de ser utilizado.

Vale buscar outras alternativas para esse momento. Como “embalagens” que possam ser reaproveitadas.

Por: Tierney ThysTED: A vida secreta do plâncton.

-PLÁSTICOS UTILIZADOS EM ENTREGAS: Todos aqueles itens que são utilizados quando pedimos algo para entrega. Normalmente vindo com alimentos, para assegurar o deslocamento.

Um grande problema quando falamos em quantidade e descarte, uma vez que cerca de  8.300 milhões de toneladas métricas de plástico foram produzidas até o momento, e cerca de 91% não são reciclados!

Será que esse conforto não está custando caro demais?!

Por: Dianna CohenTED: Verdades difíceis sobre a poluição plástica.

-SACOLAS PLÁSTICAS: As famosas sacolinhas distribuídas em centenas de locais.

Podemos fazer mais e melhor do que isso!

Por: Enric SalaTED: Vamos transformar o alto mar na maior reserva natural do mundo.

-SACOS PLÁSTICOS: Também podem ser repensados para grandes indústrias, em seu manejo e entrega de mercadorias.

Esses materiais estão sendo confundidos com “alimentos” por diversos animais marinhos.

Por: Edie Widder  – TED: Como encontramos a lula gigante.

PLÁSTICOS_PORTAL ECOERA

-PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL: A importância de nos responsabilizarmos por nossas escolhas.

Você costuma ler os rótulos do que usa? Sabia que, grande parte de cosméticos e itens de higiene pessoal, possuem altas concentrações de plásticos e outros derivados em suas composições?

Os microplásticos são os mais comum. Presentes em esfoliantes (quando não são naturais) e outros produtos.

Por: Heidi Sosik TED: As descobertas que nos aguardam na zona crepuscular do oceano.

PLÁSTICOS_PORTAL ECOERA

-COPOS DE ISOPOR E OUTROS RECIPIENTES: Todos os itens, que aparecem em nossa vida como forma de facilitar e proporcionais mais praticidade, hoje se tornaram grandes problemas para o planeta.

Você sabia por exemplo que, como boa parte dos plásticos utilizados não é descartado de forma correta e tão pouco consegue ser reciclado, muitos chegam aos oceanos e são ingeridos por animais marinhos. Mas você também sabia que, essa matéria prima, altamente tóxica (e que está presente nos animais) é também ingerida por nós – humanos – quando nos alimentamos?

Por: Colleen FlaniganTED: Como as esculturas podem salvar os recifes de coral?

Embora acabar com itens não recicláveis ​​de uso único seja um passo na direção certa, devemos fazer esforços ainda maiores para substituir todos os plásticos à base de petróleo.

Isso significa inventar bioplásticos e outros materiais que não persistem por décadas ou se degradam em substâncias nocivas. Buscar inovações que possam, de fato, ter impactos mais positivos e transformar essa cadeia produtiva.

Por: David GruberTED: Tubarões que brilham no escuro e outras criaturas marinhas impressionantes.

Vamos?

Quais itens você também gostaria de banir da sua rotina?

Fonte: TED

Fotos: Pexels