Nos último anos as redes sociais tomaram conta do dia a dia das pessoas. Os brasileiros utilizam a internet em média mais de nove horas por dia, perdendo apenas para as Filipinas e Tailândia. Uma pesquisa de Psiquiatria da (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, calcula-se que no mundo todo,630 milhões de pessoas cadastradas no facebook, sejam usuários frenéticos da rede social. No Brasil esse número chega 37 milhões.

Mas essa febre pelo imediatismo e a exposição da própria vida e da vida alheia parece estar chegando ao fim. As redes sociais parecem ter esgotado as pessoas. O Facebook, uma das redes sociais mais populares vem caindo seu engajamento. Uma pesquisa do instituto norte americano Pew Research Center mostrou que, 42% da população diminuiu o uso da rede social nos últimos 12 meses. O próprio Facebook admitiu no final de 2017, que o uso excessivo da rede pode fazer com que as pessoas se sintam mal.

A geração Z (nascidos de 1994 em diante) são os mais afetados, segundo estudo da Origin, empresa norte americana de análise de mercado. Cerca de 41% desses jovens disseram que o uso da plataforma causa ansiedade, tristeza e depressão. Por consequência 34% afirmaram ter abandonado as redes sociais.

Fazer um detox digital e dar valor as relações e conexões da vida real são o primeiro passo para um olhar mais profundo de dentro para fora. Fazer atividades ao ar livre e que estimulem o autoconhecimento são enriquecedoras.  Cuidar de si é essencial para quem deseja impactar positivamente o planeta.

 

Fonte: Exame