O filtro de cigarro, tampas de garrafas pet, canudos, garrafa plástica e sacolas plásticas estão entre os principais itens encontrados nas praias brasileiras, de acordo com o primeiro Relatório #SemanaMaresLimpos 2017.

Construído a partir de informações coletadas pelas sociedade em ações de limpeza de praias do ano passado, coordenadas pelo Instituto Ecosurf, o relatório mostrou o que já falamos bastante por aqui: o plástico de primeiro uso – o descartável – está poluindo praias, rios e mares. Estamos nos afogando em plástico!

Foto Mutirão Positiva Ecosurf

Estes são os principais itens coletados e uma amostra  de 24 toneladas de lixo recolhidas por por 57 grupos que realizaram ações de limpeza em praias ou rios distribuídos pelos estados de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espirito Santo, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

Mutirão Positiva Ecosurf

“Entre 60 e 90% do lixo encontrado nos mares é composto por vários tipos de plásticos, em diferentes tamanhos e estágios de degradação. Algumas estimativas apontam que, se continuarmos no ritmo com que descartamos itens como garrafas plásticas, sacolas e copos plásticos depois de um único uso, até 2050 os oceanos terão mais plásticos que peixes e estima-se que 99% das aves marinhas terão ingerido o material”, aponta a ONU Meio Ambiente no Relatório #MaresLimpos 2017. 

Aguardamos os dados da #SemanaMaresLimpos deste ano!  e você, já participou de algumas ação de Limpeza de Praias e Rios?

Sobre a Campanha Mares Limpos, pela coordenadora no Brasil, Fernanda Daltro, da ONU Meio Ambiente:

“Lançada em fevereiro de 2017, a campanha #CleanSeas, da ONU Meio Ambiente, tornou-se uma bandeira global pela saúde dos oceanos. Chamada #MaresLimpos no Brasil, a campanha já é identificada como uma força capaz de mover a agenda pelos mares, influenciando os diversos atores envolvidos no problema da poluição plástica.
A #SemanaMaresLimpos foi criada com o objetivo de reunir sob o guarda chuva da campanha #MaresLimpos, todos os grupos e voluntários do Brasil que realizam ações de limpeza de praia (ou outros corpos d’água) no período do World Clean Up Day. A intenção é fortalecer esses grupos e amplificar suas vozes, reconhecendo o seu trabalho e dedicação, e chamando mais atenção para o impacto que nossas atividades cotidianas têm no ambiente marinho. Além disso, convidamos a todos para registrar os resíduos coletados e assim termos um panorama do lixo nas praias do Brasil.

A primeira #SML foi um sucesso: em 2017, 136 grupos brasileiros e 2 internacionais se inscreveram e quase 10 mil pessoas mobilizadas, diretas e indiretamente. As informações registradas por parte desses grupos estão nesse relatório, e servem de alerta sobre hábitos de consumo que podem ser mudados e também sobre a necessidade de rever a produção e o descarte de determinados itens.

As ações de limpeza de praia nos mostram aquilo que precisamos mudar. São engajadoras e educativas por que nos demandam um olhar mais atento sobre aquele ambiente aparentemente limpo, mas que, de fato, está altamente contaminado com restos de nossa sociedade. Depois de participar de um clean up, nunca mais olharemos para a areia de uma praia ou para um canudinho da mesma forma.”