O fotógrafo e jornalista Alexandre Augusto passou os últimos dois anos convivendo com as mulheres trabalhadoras de Itatim e Itaetê, municípios da Chapada Diamantina, que, para sustentarem suas casas, quebram blocos de pedras gigantes em troca de R$ 55 a cada mil paralelepípedos talhados.

A exposição “Mulheres de Pedra” é fruto dessa intimidade, que apresenta mais do que a realidade das mulheres cortadoras de pedra. Coloca-nos diante de algo que não está apenas nas pedreiras, está na grandeza do feminino.

São 22 fotos que mostram cidadãs unidas por um sentimento: dignidade.

Dona Umbelina, por exemplo, do alto dos seus oitenta anos, posou para a câmera, herdou o ofício dos pais, e o seu semblante é pura altivez. Os homens, que exercem o trabalho braçal de carregar as rochas nas pedreiras da região, também estão lá.

 

SERVIÇO

Unibes Cultural – R. Oscar Freire, 2500 – Sumaré
Seg. a Sáb., das 10h às 19h
Até 10/03
GRÁTIS